Principal Links Clientes Contato

Haras El Manzanar

Texto: Rute Araujo/ Fotos: Murilo Goes

 

 

"O Estilo diferenciado de selecionar cavalos de corrida"

 

 

  É outono em Luján, mas o vento frio de inverno resolveu chegar mais cedo trazendo uma neblina que teima retardar o amanhecer,

    Incrustada nos férteis campos argentinos, a cidade fica a 80 quilômetros de Buenos Aires. Cerca de 14 quilômetros do centro de Luján está El Manzanar, um pequeno paraíso que se tornou nos últimos anos um emergente centro de criação do Puro Sangue Inglês.

Ali, numa área de 100 hectares se distribuem 35 mil árvores de 1,2 mil diferentes espécies, fazendo com que a propriedade se transforme num valioso acervo botânico, "Somos um haras dentro de um parque", costuma ressaltar Ricardo Muradas, engenheiro agrônomo responsável pelo paisagismo e infra-estrutura de El Manzanar.

Aqui e acolá, onde a vista alcança, o outono vai se revelando, derrubando folhas, fazendo o tom verde da paisagem se transformar em laranja, amarelo, marrom, impondo às árvores uma imagem como de labaredas num dia, galhos secos noutro. É em meio a esse cenário que o Haras El Manzanar foi construído.

 

 

   Um pouco de História - A propriedade que hoje se transformou em celeiro de cavalos de corrida, há mais de cem anos foi uma próspera produtora de maçãs e, posteriormente, também de pêssegos. Primeiramente, teve como dono um irlandês radicado na Argentina, passando depois às mãos dos irmãos Firpo, onde um deles, Luiz Angel, boxeador peso pesado, notorizou-se nos Estados Unidos como o "touro selvagem de los pampas".

   Na mesma época em que Firpo lutava na América, a Argentina descobria sua vocação eqüestre, com o desenvolvimento da criação de cavalos de esporte para Salto, Pólo e Corridas. Esse fato veio interferir de forma definitiva na história daquela propriedade.

   Com seu solo fértil, clima definido e rica flora, El Manzanar se transformou numa área ideal para a criação de cavalos. O pomar de maçãs deu vez aos cavalos de corrida com a instalação, na década de 70, do Haras Santa Maria de Luján. Durante vários anos, saíram de seus campos animais que se consagraram em hipódromos argentinos e no exterior.

 

    Uma nova fase - Em 1987, novamente, a propriedade mudou de mãos, continuando, contudo, com sua vocação na criação de cavalos de corrida, mas resgatando o antigo nome El Manzanar, que significa pomar de maçãs. Um grupo de empresários argentinos, entre eles o agrônomo Ricardo Muradas - radicado no Brasil - adquiriram a propriedade com o propósito de modernizá-la. Às éguas argentinas ali existentes se somaram a outras importadas dos Estados Unidos, e a estes dois lotes foi incorporado o reprodutor Gem Master, selecionado em Kentucky, EUA, país onde ganhou cinco corridas, aos 2, 3 e 4 anos, em distâncias que variaram de 1.000m a 2.000m. Neste 96, Gem Master passou a dividir a responsabilidade de padreador com Aspone, um zaino nascido nos campos de El Manzanar.

Em nove anos de criação, mas quatro de campanha, o haras conseguiu se firmar como um dos mais consagrados nomes da atualidade do turfe argentino, tendo conquistado o quarto lugar no ranking de proprietários do país, em 1993, e o quinto lugar em 1995.

Os resultados, no entanto, são o somatório de vários fatores. El Manzanar vem conquistando seu espaço no turfe argentino porque implantou uma filosofia de criação onde são pilares básicos a Nutrição, a Sanidade e o Manejo: "Estes fatores são fundamentais para a plena manifestação de um quarto fator, o potencial genético", ressalta Muradas.

 

 

   Pastagens, o diferencial - As dádivas da natureza que se revelaram em El Manzanar, especialmente seu fértil solo, possibilitou a implantação de pastagens consorciadas em

todos os piquetes. Gramíneas e for-rageiras de diferentes tipos garan­tem aos animais uma dieta abrangen­te e balanceada durante todo o ano: "Preparamos o solo através de uma rotação de culturas com o objetivo de equilibrar o ciclo do cavalo. Às ve­zes, quando temos possibilidade, fa­zemos uma rotação de culturas, da pastagem para a agricultura, com o objetivo de quebrar o ciclo da pasta­gem. Isto nos permite, inclusive, uma assepsia de microorganismos e ervas daninhas típicas de pastagens. Então, sempre que possível voltamos a fazer o plantio da soja, após a soja a aveia, e logo a seguir a pastagem", ensina Muradas.

Com estações climáticas bem definidas, as terras de Luján permitem o desenvolvimento de pastagens de clima temperado, onde o plantio é feito por sementes: "Este método permite a redução da mão-de-obra e, conseqüentemente, o custo se torna menor", garante Muradas.

Entre as inovações que El Manzanar levou para a Argentina mais recentemente, destaca-se a introdução do Tifton 85, famoso por seu alto va­lor nutritivo e grau de resistência ao pisoteio, pastoreio è ao frio.

 

 

   Infra-estrutura exemplar - As pastagens são subdivididas em 11 piquetes com tamanhos que variam entre cinco e dez hectares; outros sete piquetes têm dimensões entre 0,3 e 0,5he.

     Os piquetes para éguas podem atender a até 50 animais. Os destinados aos potros chegam a 10 hectares cada um; os piquetes menores se destinam aos garanhões e à maternidade. Os piquetes menores também se destinam aos animais que voltam dos hipódromos para um período de descanso.

Todos os piquetes foram construídos em forma oval ou retangular, com esquinas arredondadas, o que evita a ocorrência de acidentes.

Os bebedouros distribuídos nos piquetes são abastecidos por água mineral extraída de poços artesianos que a bombeiam para uma caixa com capacidade de 70 mil litros e que, gravitacionalmente, distribui a água para toda a propriedade.

As instalações destinadas aos animais são divididas em quatro tipos de construção. Um dos pavilhões destina-se às matrizes; possui 56 baias. Um segundo, com 20 baias, é destinado aos animais em processo de treinamento. O terceiro possui 18 baias e situa-se na área dos piquetes de desmame onde estão instalados os "creeper's" que facilitam o início do arrazoamento. O quarto destina-se aos garanhões. É constituído de três baias de dimensões amplas, de 6m por 6m, com excelente ventilação e iluminação. Dentro deste grupo de cocheiras fica também a moradia de um profissional responsável pelo trato destes animais. Em separado ficam, ainda, as cocheiras destinadas aos dois rufiões do haras.

 

 

   Manejo diferenciado - El Manzanar revolucionou o conceito de manejo na Argentina, implantando, por exemplo, o contato diário do cavalariço com os animais, o que possibilita que os animais ganhem maior confiança, e o cavalariço detecte logo no início ferimentos, manqueiras e problemas de crescimento.

      As éguas vazias que vêm do hipódromo ou as virgens começam a ser preparadas a partir de abril para entrarem no período de monta. As que estavam em campanha geralmente são retiradas do prado em fevereiro para se recuperar e fazer relaxamento muscular. Vermifugação, vacinação e avaliação genealógica são feitas antes do início da temporada de monta. "O nível de seleção de nossas matrizes exige que elas tenham as três características básicas: muito bom pedigree, boa campanha - objetivando, inclusive, que sejam clássicas - e bom tipo para que dêem uma boa reprodutora.

    A partir de junho elas vão para piquetes mais nutritivos durante o dia, e a partir das 18hs são encocheiradas para um fotoperíodo, onde se alonga o tempo de luminosidade, detonando o processo reprodutivo. Nesta mesma ocasião os rufiões também entram em trabalho. Toda esta fase vai até Io de agosto, quando se inicia a temporada de monta. Ao se aproximar a fase final da gestação, as éguas

são concentradas ao redor do piquete e das baias de maternidade. Quando o parto acontece, a égua é auxiliada por duas pessoas. No dia seguinte ao do nascimento, o potro é levado ao piquete com a mãe, onde vai permanecer por duas semanas em constante controle.

 

Os garanhões são as "estrelas" do haras. Em El Manzanar eles são responsáveis por até 50 nascimentos por ano. Antes do início da temporada de monta, eles são preparados nutricionalmente e passam por um exame de sêmen. Como procuramos definir o ponto mais próximo da fecundação do óvulo através do rufião, o garanhão se desgasta menos. Gem Master tem alto grau de fertilidade e índice de prenhez por salto. Ele chega a emprenhar até 60% das éguas no primeiro salto, com uma média anual que não chega a cinco saltos por égua", comenta Muradas.

 

    Preparando futuros campeões - Os potrinhos começam a ser desmamados aos seis meses. Inicialmente são levados por algumas horas para comer longe das mães, depois voltam, e este procedimento vai aumentando o número de horas gradativamente até que ele não sinta mais esta separação.

Depois vem a fase de recria onde os potros começam a desenvolver seu potencial de corrida e massa muscular. Quando estes animais atingem um ano e meio é iniciada a pré-doma, diferenciada, com uma ampla relação entre animal e domador.

Dentro deste processo de doma são incluídos ensinar o potro a entrar e sair do partidor, para que se acostume a ouvir o barulho da portinhola e não se assustar; subir e descer no embarcadouro.

      Depois de um mês de descanso os animais são levados para um centro de treinamento para o pré-training por  dois meses. A partir daí os que estiverem mais avançados são são levados para o Stud El Manzanar, no Hipódromo de San Isidro, em Buenos Aires, onde treinam por cerca de um mês e meio antes da estréia. Todo o processo é feito sem pressa, porque vai depender de cada animal mostrar o grau de sua evolução; se é mais precoce ou se é mais tardio, e isto só profissionais especializados é que vão detectar", diz Muradas.

 

      No Stud em San Isidro o trabalho é diário e duas provas são realizadas antes da estréia do animal. O pedigree ajuda a definir qual a distância ideal para que determinado produto corra, mas é fundamental a intuição do treinador e do jóquei. Não existe pior erro do que ter um cavalo de velocidade de mil metros correr uma prova de 1.500m, onde ele não vai ter resistência para chegar", adverte Muradas.

 

 

 

 

    O brilho das estrelas - O plantei de El Manzanar conta, hoje, com 120 animais, sendo dois reprodutores: Gem Master e Aspone. Os outros se dividem entre 36 éguas, 28 animais em processo de pré-training e o restante são potros em fase de recria e doma.

      Ganhador de cinco corridas nos Estados Unidos, aos 2,3 e 4 anos, em distâncias que variaram de 1.000m a 2.000m, o principal reprodutor do haras, Gem Master, vem se mostrando um excepcional padreador. Os filhos de Gem Master recebem como nome gírias brasileiras ou argentinas.

Assim, nos programas do turfe quando um atento turfista se depara com nomes como Espirro, Endoida-do, Esnobe, ou na ala feminina com Encrenca, Esquentada, Enrustida e Enxuta, vai estar conhecendo alguns dos produtos de El Manzanar, filhos de uma mesma e vitoriosa produção de Gem Master.

      O mais famoso deles é Espirro, ganhador aos 2 anos no Hípódromo de San Isidro na distância de 1.600m e vencedor, entre outros, do Grande Prêmio Jockey Club (Gr. I em 2.000m), sendo segundo no Gran Criterium e no Gran Prêmio 2.000 Guineas, ambos do Gr. I na distância de 1,600m

Numa análise geral, El Manzanar conquistou 116 vitórias em quatro anos de campanha, conseguindo fazer campeões em pista desde sua primeira geração. No ranking dos proprietários na Argentina, ocupou a quarta colocação em 1993, e o quinto lugar em 1995.

Além de Espirro, outros animais têm marcado o nome de El Manzanar nos hipódromos, especialmente da Argentina. Espontâneo, por exemplo, foi ganhador na sua segunda corrida, fez uma bonita campanha clássica, vencendo, entre outros, o Grande Prêmio Jockey Club. Outro clássico é Aspone que conquistou 12 vitórias e um recorde na distância de 1.400m, entre outros.

Ainda se tornaram ganhadores clássicos Endoidado (Gr. II) e AbeIhudo, ganhador de Grupo L.

       Em todas as gerações, até junho último, El Manzanar tinha produzido em quatro anos de campanha 14 animais com colocação clássica: Aspone, Abelhudo, Beceene e Dengosa (Grs. II e III); Bibelot e Endoidado (Grs. I e II); Bordoada (Grs. III e L): Buscapé (Gr. I); Cabrocha (Gr. II); Caloura (Grs. I, II. III e L); Debochada (L); Debslalador (Gr. III); Espirro (Gr. I) e Esmagador (Gr. E).

Quatro animais têm colocação em Handicap: Ajeitado {1), Aspone (seis vitórias e um recorde); Bordoada (2) e Buscapé (1).

Hoje, Aspone é uma das grandes esperanças do haras na reprodução. Vai começar a servir em agosto. Enquanto espera esta nova fase de vida, recebe tratamento de astro, dividindo com Gem Master todas as mordomias. Afinal, eles merecem.

 

 

Leia Mais